A ventura
 
Vou correr o risco de te ouvir,
a cada vez e tanto,
mesmo em tua ausÍncia...

e ainda que, por vezes,
prefira ficar surda,
vou me transformando

viro teus silÍncios densos,
que engendram dizeres
do fundo do mundo

pelos descaminhos
dos teus sonhos
me embrenho, em transe

arfo teus suspiros,
num contŠgio
transbordante

estranheza familiar,
que me invade e transcende,
morro e sou mil seres

e, no instante, sem aviso,
em que multiplicas
o sentido da PresenÁa

tua essÍncia
muda tudo aquilo,
antes mudo em mim
 
Poesia&Imagem <bgsound src="beatriz.mid"> Beatriz Copyright ©1998-2005, by Maria Helena Rowell (16.10.99)